O Café Provoca Ansiedade?

O consumo de café é uma prática comum em muitas culturas ao redor do mundo – Portugal não é excepção – somos famosos pela nossa “bica” ou “cimbalino”. Queixamo-nos frequentemente quando estamos no estrangeiro que não há café como o nosso.

Além de ser apreciado pelo seu sabor e aroma (eu por exemplo sou mais “viciado” no aroma do café do que no sabor), o café é muitas vezes utilizado para fornecer um impulso de energia e alerta mental.

No entanto, há uma questão que continua a despertar debates e preocupações: o café pode causar ansiedade?
Um estudo publicado já em 2024 procurou responder a essa pergunta. Os investigadores realizaram uma meta-análise (um estudo estatístico que junta vários outros estudos) avaliando uma série de artigos relacionados ao consumo de cafeína e o impacto na saúde mental. Os resultados foram surpreendentes e merecem uma análise mais aprofundada, nestes tempos em que há cada vez mais problemas de saúde mental e muitas queixas de “excesso de ansiedade”.

Após uma análise cuidadosa, os pesquisadores descobriram que o consumo de cafeína estava de fato associado a um aumento do risco de ansiedade!

Os resultados mostraram que o efeito da cafeína na ansiedade era dependente da dose. Em doses baixas, o consumo de cafeína estava moderadamente associado ao aumento do risco de ansiedade. No entanto, em doses mais elevadas, o risco de ansiedade aumentava significativamente.

Tal como em muitas outras situações ligadas a alimentação e não só: O VENENO ESTÁ NA DOSE!

Essas descobertas têm importantes implicações para aqueles que consomem café regularmente. Embora o café possa proporcionar um aumento temporário de energia e alerta, é importante estar ciente dos possíveis efeitos negativos, especialmente no que diz respeito à sua saúde mental.

Para aqueles que já sofrem de ansiedade ou estão em risco de desenvolvê-la, pode ser prudente limitar o consumo de cafeína ou optar por alternativas com menor teor de cafeína. Além disso, é fundamental estar atento ao próprio corpo e aos sinais de ansiedade, ajustando o consumo de cafeína conforme necessário.

Link para o estudo: https://doi.org/10.3389/fpsyg.2024.1270246

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Scroll to Top